sexta-feira, 8 de julho de 2016

Um obrigada aos ex, aos actuais, aos passageiros e aos permanentes, meus e dele!

A vida é uma sequência de episódios de várias temporadas. 

Composta por personagens principais, secundárias, figurantes...

O narrador é o nosso consciente que não omnisciente mas muito presente vai descobrindo a cada momento o desenrolar da história, um narrador cheio de opiniões certamente... uma espécie de Ted em How i met your mother...

A minha mãe disse-me o passado já passou, que já não interessa. MENTIRA

O passado faz parte de nós, o presente está a ser contado e o futuro não nos pertence.

Foi o que passado que me fez chegar onde estou hoje, cada desilusão, cada mágoa, cada lágrima, me fez tomar o caminho certo, no labirinto da vida para chegar ao prémio, a vida linda que hoje levo.

Tudo o que vivi nestes 25 anos, 1 mês, 13 dias, 3 horas e 30 minutos me fez chegar à pessoa que sou hoje.

Desde ao amor da minha família, os meus animais, a mala de viagem do meu pai, acordar numa manhã de natal e ter muitos muitos presentes, mas eu tinha visto o pai natal e isso é que importava, a minha queda, a minha snoopy, o dia em que trouxemos a  Nacha 1 tão pequenina, peludinha e pretinha, aquele cão mau que fez com que todos os animais tivessem de ser abatidos por causa da doença feia que trouxe para minha casa, a minha mãe que me comprava Anitas, os meus professores, a dona Conceição da Fisiofeira, dos velhinhos que lá estavam comigo,  a Dona Helena que esperava comigo na escola primária muito zangada por os meus pais estarem atrasados, o meu pai ter passado tanto tempo doente, a minha mãe ter lutado tanto, de ir à Nazaré com o meu kit de enfermeira de brincar e conhecer a Dona Laura e a Laurinha, que antes tinha sido Francisca, mas que se tornou uma Formiga Faneca, de brincar com ela, de comer em casa deles, do João do restaurante, do chapéu que o meu avô me deu, de ver no monitor o bebé que vivia dentro barriga da minha mãe, de ter vindo de comboio com a minha mãe e a minha mana dentro da barriga da minha mãe, de ter a minha mãe a chorar porque estava a sentir a menina a cair da barriga, num dia de feira, o meu pai na cama, a minha mãe a chorar,o dia em que a dra Elvira disse que ou eu deixava de fazer amigdalites ou ia à faca. o dia em que a minha mãe decidiu mudar os quartos, gravidissimaaaaa, ela a chorar no chão com dores, ir visitar a minha mãe ao Pedro Hispano, numa sala cheia de luz e janelas, da minha irmã tão pequenina e frágil, que eu prometi ali, protegê-la de tudo e de todos, da minha mãe ir para casa reclamar que a casa era fria e cheirava a mofo.

Do dia em que a minha pediatra disse que a minha irmã tinha de ir de urgência para a feira, da minha irmã ficar no hospital com a minha mãe, tão doentinha, do chá que as enfermeiras me davam e das bolachas maria, depois do chá era hora de voltar para casa sem mamã nem mana. Da única pinypon que eu tive que o meu pai me deu quando a minha irmã estava a voltar para casa, de tentar fazer os tpcs no carro antes de ir para o hospital, de sentir a falta delas, de chorar por nao as termos ido visitar no sabado porque ficamos à espera do nebulizador que nao foi entregue, da minha mãe chorar porque não tinha comido nesse dia.

Da minha madrinha, do meu padrinho, da minha avó... do Paulo e da Isabel, do Paulo ficar triste por eu não o chamar tio, mas para mim o Paulo era o Paulo, eu não tinha tios, nao sabia o que isso era, mas sabia que o Paulo era importante, que era especial, porque a minha madrinha o amava, para mim Paulo ou Isabel tinha mais força que tia ou tio.

De ir ver a madrinha ao hospital com o meu primito (que hoje é o maior da família) dos gemeos virem a seguir...

O meu avô e de o ir buscar ao café, das notas de 500 escudos que ele me dava, do leitão no aniversário dele, do orgulho que ele teve quando ele descobriu que eu era do Sporting, como ele, das corridas pela casa e da Rica do chocolate preto de culinária que partilhavamos e adoravamos (SEMPRE NESTLE).

Ter escolhido ir para o Colégio, do orgulho do meu pai por lhe seguir as pisadas, do Dr Vieira que nos obrigava a apanhar lixo do chão quando cortávamos caminho pelo campo e ele se zangava.

De ter conhecido a Guida das tranças por causa da minha régua de 50 cm, dos grandes que se tentavam meter connosco mas nós não deixavamos, das vezes que eu lhe puxei aquela trança, dos passes de autocarro que perdi e do dia em que a mordi.

O Dia em que o meu avô morreu! (e a saudade que ele ainda hoje me faz) 

Da pressão dos meus pais para tirar um curso e para ser alguém, da porradinha que levei para que tal acontecesse... das paixões secretas.... da minha gémea pela unha, e quando a Internet apareceu em minha casa... os meus telemóveis e todos os meus amigos... 

Das várias «amigas» que me atraiçoaram, daquelas que não valiam nada e daquelas que me ajudaram a tomar certos caminhos.

Do meu coração fugaz e leviano característico de gémeos...

Do meu primeiro beijo no primeiro dia do 10º ano com sabor a iogurte de morango ahah, com um caramelo de 12º que me tinha cortejado o verão todo, que afinal tinha namorada, um pigmeu parvo que me fez chorar.

Do orelhas e do seu séquito.

Do Vitor e da sua mota, que eu não agi da melhor forma com ele... apesar que ele me fez descobrir o que eu queria da vida, do Carlos e da ida para os bombeiros, das traições, da Rita, do quanto eu chorei e me magoei...

Da minha ida para a universidade...

Todo o meu caminho dizia Enfermagem e foi dos melhores escolhas da minha vida (por teimosia, destino, rebeldia, fosse qual fosse o motivo, foi a decisão correcta).

Todo o meu caminho na universidade, os homens, os amigos, as traições, as mágoas, as cabras, os enganos e desenganos, os almoços em Arca de Agua, o Diogo mortadela que dizia u fÊ pÊ, a Virgínia e a Leonor, a Luciana, a Valpaços, os computadores da associação de estudantes, o furo às aulas, o Porto, o metro, o blog.

Cada momento, cada lágrima, cada fúria, cada abraço, cada traição, cada decisão impulsiva. 

Aquele dia 1 de Dezembro de 2012, que eu estava deprimida por o estágio ter acabado nas urgências, por estar sozinha, tinha jantar de bloggers e tinha dito aos meus pais, era o primeiro, e nao sabia o que esperar, foi nesse dia que conheci a Moki, a Lili Makes e a tatanita, a Soraia e a Viver num T0, mas eu não queria ir alem de que era greve da cp, e foi o meu pai, o meu pai disse-me, anda vamos embora eu levo-te e vou-te buscar, vá veste-te, levou e foi buscar, e foi nesse dia que a minha vida começou a mudar, foi nesse dia que eu tomei o caminho certo... 6 dias depois beijamo-nos encostados à tua carrinha depois de uma almoço perfeito, no dia em que eu me comecei a apaixonar por ti!

Disseste que me ias raptar e raptaste, o meu coração, levaste-o contigo, e mesmo quando o despedaças-te para me enviares para esta vida melhor mantiveste-o contigo, eu vim, feita pioneira, borrada de medo, mas cheia de coragem, largaste tudo, e vieste fazer-me a pessoa mais feliz do mundo.

Por isso hoje depois de grande reflexão, venho esquecer qualquer raiva ou assombro do passado, venho agradecer a qualquer personagem que passou nas nossas vidas, porque cada um de vós contribuiu para o nosso HOJE, para as  pessoas que somos e a vida que levamos, porque cada um de vós foi uma seta em direcção ao caminho certo! Obrigada a todas as pessoas que certa forma se cruzaram no nosso caminho, num ontem recente ou mais que passado, obrigado às personagens que foram principais e que se foram desvanescendo até serem hoje apenas vislumbres ou completo esquecimento, obrigada a todos que de certa forma com a traição me trouxeram o melhor que a vida tem.

Se o Karma existe espero que todas as pessoas que passaram nas nossas vidas tenham tanto ou mais do que eu, que sejam tão felizes como eu, e que amem, amem muito, porque de certa forma o karma deve recompensar-vos pela forma como me ajudaste a ter tudo o que sempre desejei da vida.

Obrigada pai, por me ajudares sempre a fazer o que devo, por todas as boleias, que foram muito importantes.

Simplesmente Obrigada 
Aos ex, aos actuais, aos passageiros e aos permanentes.
Que devido à vossa passagem na nossa vida nos trouxe ao dia de Hoje!*



#desabafo
#desculpem lá se vos incomodei
#hoje sou capaz de perdoar tudo
#fazer as pazes com o passado é fácil quando estamos preparados.

#Obrigada avôs por olharem por mim.

9 comentários:

  1. Mais cedo ou mais tarde, o passado deixa de nós afectar e ficam apenas as boas lembrancas

    ResponderEliminar
  2. Gostei tanto desta publicação! Sou da mesma opinião que tu, o passado é importante por fazer de nós aquilo que somos. Nunca nos devemos esquecer :)
    Kisses,
    Messy Hair, Don't Care

    ResponderEliminar
  3. Essa frase diz tudo
    Beijinhos
    CantinhoDaSofia
    Facebook
    Tem post novo todos os dias

    ResponderEliminar
  4. Sou apologista que as pessoas surgem na nossa vida e nós na vida das pessoas por um motivo, este teu texto é o espelho dessa minha filosofia de vida!

    Bjxxx
    A Pequena Boneca de Trapos | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  5. O passado pra mim não é simples passado, foram aprendizagens que nos tornaram o que somos hoje!


    Beijos!

    EsmaltadasdaPatyDomingues

    ResponderEliminar
  6. Incrível,ótimo post!
    bjs
    http://www.pinkbelezura.com/

    ResponderEliminar
  7. Maravilhoso seu texto e bastante reflexivo.

    Beijos
    https://pimentasdeacucar.blogspot.com.br

    ResponderEliminar

Ola! Gostaste do post? Tens alguma opinião sobre o assunto?
Comenta ;)
Saudações Negras

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...